15 julho

Desempenho sexual masculino – As mentiras que acreditamos

Texto em comemoração ao dia dos homens – 15 de julho.

– Marcelle, meu marido não está fazendo sexo comigo como antigamente, será que estou sendo traída?

– Mas não seria uma baixa libido talvez?

– E homem tem essas coisas? Isso é coisa de mulher!

Quem nunca ouviu algum diálogo nesse teor? Uma mentira que de tanto ser repetida pelas pessoas acaba sendo tomada como verdade pela sociedade.

A síndrome do macho latino

Alguns profissionais de sexologia (eu inclusive) damos o nome de síndrome do macho latino a uma cultura principalmente latino-americana, porém mundial ao conjunto de “normas” de comportamentos sexuais exigidas aos homens. Principalmente, mas não exclusivamente entre os heterossexuais. Dentre as exigências está o terrível fardo de nunca em hipótese alguma negar sexo. Ou seja, a pessoa se vê literalmente obrigada a se sentir excitada com toda e qualquer pessoa, caso contrário, não “é homem” ou “é fraco”. Isso sem contar os preconceitos homofóbicos que nem vou mencionar para não estender.

Outro aspecto do macho latino é a ereção sempre presente, igualando o homem à uma máquina. Há quem diga que homem é como forno micro-ondas e mulher é como forno à lenha. Eu mesma já pensei desta forma (viva os estudos científicos). Na verdade, sim, a resposta sexual masculina é realmente mais linear que a feminina, porém por razões mais culturais do que físicas. Um dia, acredito, seremos todos fornos a gás (uns com fósforo outros de acendedor automático, mas seremos)!

Homem não é máquina

Outro mito da coleção do macho latino é a exigência de tempo de ereção. Não basta ter, tem que providenciar uma noite inteira de relação sexual. Claro, se for excitante, se houver desejo, qualquer pessoa consegue vivenciar várias horas de relações sexuais. Mas esses casos são mais exceção do que regra. São super pontuais. E acredito que essas noites lendárias têm esse sabor justamente por não serem rotineiras. Mas voltando. Repetindo: qualquer pessoa. Porém caso não ocorra por parte do portador de pênis, a tal da “masculinidade” entra em cheque e esse homem começa a se cobrar e a se sentir menos capaz.

Entendo que para muitos homens e até mulheres o que estou escrevendo parece um absurdo. Porém a poucos anos atrás era absurdo também uma mulher ter orgasmo, votar e abrir a própria empresa, portanto me desculpe (ou não) por ir contra essas verdades tão irreais utilizadas como métrica de vida.

Baixa libido Masculina.

E não importa a orientação sexual, homem pode ter sim baixa libido também. Mas acontece que a pressão social é tanta, que muitos deles preferem fingir que está tudo bem e fazer uso de medicamentos nocivos a médio longo prazo para manter as ereções. Que peso.

A libido masculina, guardadas as devidas proporções, é afetada da mesma forma que a feminina. Quando digo mesma, são razões aparentemente diferentes (principalmente no contexto sociocultural), porém com a mecânica igual. Observe:

  •  Razões hormonais. Um desequilíbrio hormonal pode afetar a libido no geral ou em algum ponto do ciclo de resposta sexual. O ideal é procurar médico especialista.
  • Razões físicas. Lesões penianas, pélvicas e até doenças no geral podem deixar o homem sem ou com pouco desejo sexual.
  • Razões emocionais. Expectativas irreais, traumas, sintomas depressivos, ansiedade dentre outras questões afetam muito o centro de prazer masculino.

Mulheres também funcionam dessa forma. Falo muito isso em outros textos e vídeos. Com outros hormônios (alguns até são os mesmos), outras doenças (algumas também podem ser as mesmas) e questões emocionais distintas e iguais. Enfim.

Disfunção Erétil

Acontece que a maioria dos homens não se preocupam ou não se sentem merecedores de um tratamento até que ocorram falhas na ereção. (Aliás, macho latino não adoece, ele é O cara!)

Disfunção erétil tem tantas possíveis causas que neste texto não caberia. Mas vou dar um exemplo fazendo relação entre desejo sexual e o mito do macho latino.

Vamos entender que um ciclo que leva a uma relação sexual saudável ocorre da seguinte forma: Interesse – desejo – excitação – ereção e ato sexual.

Acontece que para os machos latinos de plantão, muitas dessas fases são negligenciadas. Interesse e desejo não ocorrem com e para qualquer pessoa, caso contrário, para que serviria a liberdade de nós mesmos decidirmos com quem se relacionar?

Porém, muitos homens se cobram neste nível e a longo / médio prazo são acometidos com alguma disfunção sexual, dentre elas a erétil. O pênis simplesmente não responde mais. Uma reação totalmente psicossomática. A mente começa a não mais mandar estímulo de excitação, afinal, não há interesse nem sequer desejo genuíno. Isso também é observado em ejaculação precoce, inibição ejaculatória etc.

Enfim, nada disso é saudável. A vida de um homem não se resume a sexo. Sexo tem que ser uma parte boa e prazerosa, jamais uma obrigação ou uma overdose. Tem que ser leve natural e saudável, caso contrário pode levar a sofrimento, inclusive emocional. E uma das formas que a mente encontra de dar essa informação de que algo não vai bem é através das disfunções.

Portanto, não espere a ausência de ereção, ou outro incômodo mais latente, começarem a ser uma constante para que haja cuidados com a sua saúde física e emocional. Também chamo atenção para ao quanto de machismo é colocado como verdade na sua vida, independente de qual gênero você se reconheça. Cuide de você por um todo e questione sempre o que lhe é exigido. Muito ainda do que a sociedade entende como “normal” é na verdade desumano. Homem é homem e mulher é mulher, claro, mas somos todos humanos!

Feliz dia do Homem aos meus pacientes e leitores. Se cuidem!

 

Tags:, ,

Comentários

comentários

Receba dicas e atualizações da Anima em seu e-mail: