15 junho

Masturbação Feminina – Qual a necessidade disso?

Antes de falarmos de masturbação feminina em si, temos que considerar a diferenciação de cenários. O cenário sexual de uma mulher na sociedade é extremamente diferente do cenário sexual de um homem. Não é para menos.

Que me mande um e-mail me contando a mulher que foi estimulada a conhecer seu corpo e pensar no aspecto prazeroso do sexo seja por pais ou educadores (sério, quero conhecer sua história).

Sabemos que não é assim para todo mundo! Uma menina com a mãozinha no seu órgão genital rapidamente é advertida por algum adulto. Ao se sentar é ensinada a cruzar as pernas e ter modos. Ao longo do seu crescimento fica sabendo de tudo que os homens fazem para conseguir sexo com uma mulher. Notícias de estupro, gravidez precoce e mais um monte de ensinamentos tortos e estranhos. Mas sobre prazer, quem fala com a menina?

Os meninos praticamente crescem se relacionando com seus pênis, uma confiança é desenvolvida e afirmada pela sociedade, afinal, homem tem suas necessidades. Mas a menina colocar a mão na sua vulva é feio, é falta de modos. Mulheres tendem a ter repulsa do próprio órgão sexual, muitas se negam a olhá-lo no espelho, não é para menos.

A luz no fim do túnel

Uma fonte poderosa de autodescoberta sexual é a masturbação, para homens e mulheres. A mulher que consegue ser livre para tocar o seu corpo e se dar prazer tem uma ferramenta muito potente para o seu desenvolvimento não só sexual, como emocional também. Saber das capacidades de prazer do corpo é libertador para a mente, faz com que limites sejam quebrados e que nada menos do que o que é conhecido seja aceito ou tolerado. A mulher que não conhece essa capacidade, acaba por se perceber limitada e muitas vezes insatisfeita com algo que nem ela sabe o que é.

Mas infelizmente não é uma realidade para todas as mulheres, senão bastava eu te sugerir que se masturbe diariamente e estaria tudo certo. Não é bem assim. Para algumas mulheres o estrago emocional é tão eficaz que para a masturbação ser algo realmente prazeroso são necessárias algumas reformas em seu modo de pensar e agir. E infelizmente o acesso a um profissional de saúde adequado para tal reforma não está acessível para todas.

Além das questões auto limitadoras que distanciam a mulher da masturbação, existem questões ideológicas também. Muitas mulheres optam por ideologias (como religiões, estilos de vida etc.) que não são a favor da auto estimulação (principalmente as baseadas em patriarcado ou machismo), tornando o ato ainda mais distante da realidade feminina. Para umas um alívio, para outras um ponto de interrogação.

É possível viver sem masturbação?

É sim, muito possível viver sem se masturbar. Mas é importante sanar a função dela com outras atividades sexuais, isso significa ter autoconhecimento do prazer na presença de outra pessoa. São exercícios eficazes quando se pode contar com um parceiro que deseja ajudar, dar e receber prazer. O que também é privilégio de poucas.

Portanto se você não tem uma razão extremamente forte para não se masturbar, eu indico que experimente aos poucos adicionar esse item de autoconhecimento sexual na sua rotina de autocuidados. Uma vez na semana já é o suficiente (para começar rs).

Benefícios

    Como eu disse a função principal dentro do meu ponto de vista clínico é o autoconhecimento. Mas existem outras razões pelas quais você poderia considerar:

Quanto mais se pratica, mais o prazer flui. É como uma escala, uma flor desabrochando. O prazer tende a ser cada vez maior e real, e isso você vai perceber também nas relações sexuais.

Seu corpo vai passar a produzir o que chamo de desejo funcional. Aquela vontade “do nada” que as pessoas sonham em ter. O corpo vai passar a te avisar quando necessitar de um orgasmo. E claro, você vai saber atender.

Orgasmo ajuda a aliviar o stress, sintomas depressivos dentre outros. E quando você tem o hábito de se masturbar, não precisa esperar outra pessoa vim provocar orgasmo em você (isso se a criatura conseguir). Acaba a dependência e isso é um grande avanço.

E tudo isso vai te fazer cada vez mais dona de si mesma, mais determinada sabendo o que quer e consequentemente mais ousada também.

Enfim, os benefícios são inúmeros e devem sim ser naturalizados. Tão naturalizados como a masturbação masculina é. Existe um excesso para ambos os lados: excesso de estímulo e cobrança para os homens e excesso de impedimento para as mulheres. Acho que está na hora de equilibrarmos a conta. Na verdade, o ideal é cada um cuidar do seu prazer como algo único e precioso como o é.

E aquela questão, ficou muito difícil lidar com tudo isso sozinha? Procura um psicólogo sexólogo para te ajudar! É possível ser feliz do seu jeito, praticando masturbação ou não. Tem que fazer sentido para você antes de mais nada.

Um abraço e até o próximo texto.

Tags:, , , ,

Comentários

comentários

Receba dicas e atualizações da Anima em seu e-mail: